A Psicologia do Pokemon TCG: Como saber sobre Funções Executivas podem me tornar um jogador melhor?

postado em: Pokémon 101 | 1

Olá pessoal, depois de muito tempo sem postar, estou eu, Alberto, aqui de novo para falar um pouco mais de Psicologia! O que acharam do Regional de MG? Nós da TCMG ficamos muito felizes por ter sido um torneio tão bom. O que me motivou a voltar a escrever é que existem pessoas na comunidade querendo trabalhar com o assunto, porém o fazem de maneira extremamente rasa e superficial, o que pra mim contribui com aquele estigma de que Psicologia não é ciência, e que qualquer um pode ser Psicólogo. Vamos falar de ciência? Então vamos lá!

O tema desse post é: Funções Executivas. Afinal, o que são as Funções Executivas e o que elas se aplicam no card game?

Primeiro, o que diabos são Funções Executivas? São processos mentais que gerenciam as demandas do nosso ambiente. Ou seja, são processos superiores que recebem as informações do meio em que estamos inseridos, e processam a nossa forma de agir, reagir e pensar. Todas as funções executivas possuem algum tipo de relação com comandar alguma ação ou tomar o controle de determinada situação. Está muito abstrato ainda? Vamos a um exemplo: Você está resolvendo um quebra-cabeças, você tem um monte de peças espalhadas e está procurando uma específica. O “modelo” da peça que você está procurando está sendo guardado no seu processamento enquanto você procura, e o ato de comparar as peças que você pega com esse modelo mental é uma utilização clara de suas funções executivas.

Em 2013, a neurocientista Adele Diamond publicou um artigo chamado Executive Functions, na revista Annual Review Psychology¹ e este artigo definiu de vez quais eram as três principais funções executivas, quais eram as três funções executivas nucleares presentes no processamento humano. São elas: Controle Inibitório, Memória Operacional e Flexibilidade Cognitiva. O controle inibitório é responsável por gerenciar a quais tipos de estímulos você deve responder, e de que forma você deve responder, inibindo as suas respostas não adequadas. Ele é responsável pelo auto-controle, e por selecionar a atenção, eliminando interferências. A memória operacional é responsável por gerenciar toda a informação que necessita de armazenamento curto e temporário, e possui uma capacidade limitada. A memória operacional (que também é conhecida por memória de trabalho) é aquela que usamos para realizar atividades que não necessariamente precisamos guardar uma informação para longo prazo, e sim lembrar de pequenas informações para uso imediato, conseguiram relacionar com alguma coisa do Pokemon TCG? Por fim, a Flexibilidade Cognitiva é responsável por modificar as suas reações e ações padrões quando algum parâmetro do estímulo se modifica. É correto relacionar a flexibilidade cognitiva do sujeito com a capacidade do mesmo ser criativo, pois ele consegue ser inventivo e pensar em novas estratégias rapidamente quando existe uma quebra de expectativas.

E então? Conseguiram ver que isso tem TUDO a ver com jogar card game? Conseguindo ou não, vou detalhar a seguir em que as funções executivas se relacionam e de que forma podemos maximizar o potencial delas a partir de certas estratégias comportamentais.

 

Controle Inibitório: Sabe aquela capacidade do jogador de Poker fazer a mesma expressão tendo um par de 2 ou um royal straight flush na mão? Pois é, é tudo graças à capacidade de inibir a expressão emocional de alegria ou de tristeza que aponta quase automaticamente na nossa cara quando temos uma mão muito boa ou muito ruim. Não só isso, o “falar demais” também é característica de uma falha de controle inibitório, você contar pro adversário alguma característica do seu jogo pode colocar toda a sua estratégia a perder. Sobre observar as falhas de controle inibitório do adversário, o André Porto já falou muito bem em sua matéria , já a característica de ser impassível em um jogo competitivo, só depende da sua capacidade de perceber as suas reações automáticas e saber exatamente o momento em que elas vão ocorrer. A partir do momento em que você toma o controle das suas próprias reações emocionais, você tem um jogo MUITO mais equilibrado. Quando você percebe as fraquezas do adversário, até uma bad match pode se tornar fácil.

Como melhorar o meu controle inibitório: A primeira palavra é treinando. Como? Só treinando e fazendo uma autocrítica é que você percebe em quais momentos você está sendo transparente para o adversário. Vou dar um exemplo, sabe aquela mão que vai ganhar o jogo se o oponente não der N? Então, se você observa que em momentos assim você é tomado por ansiedade, pode ter certeza que os sinais são perceptíveis também para o seu adversário. Então, a melhor ideia é elaborar uma estratégia para momentos assim. A estratégia que eu mais gosto é a de sempre que terminar o meu turno, colocar as cartas na mesa, cruzar os braços e observar o meu oponente jogar, tente se comportar exatamente da mesma forma todas as vezes que não for a sua vez de jogar, assim, o seu oponente não vai ter como saber se você tem algo na mão que pode acabar com o jogo. Além disso, se o oponente fizer alguma pergunta, querendo que você entregue seu jogo (em caso de torneios grandes) você pode responder de forma mais direta, com respostas treinadas, ou nem mesmo responder, é o seu direito. O importante é conhecer as próprias fraquezas e minimizar elas para que não o derrubem.

Memória Operacional: Você é o primeiro a jogar, na sua mão você tem uma carta que você pode olhar o conteúdo do seu deck (ultra ball, brigette, brooklet hill) e 6 outras que não te permitem isso. Qual é a primeira coisa que você faz? Para todo bom player de Pokemon, quanto mais rápido você fizer a primeira busca no deck, mais rápido você vai ter as informações de quais cards estão nos prêmios, e se você pode contar com aquela tech que você colocou ou não. Toda a estratégia do Pokemon sempre gira em torno dessa primeira busca, saber os seus recursos é essencial. Como que você guarda durante uma partida inteira quais cartas você ainda tem no baralho, quais você tem na pilha de descarte e quais estão nos prêmios? Usando a sua memória operacional! Através dela você guarda essa informação temporária que te auxilia na execução das estratégias, ela também é responsável por auxiliar no armazenamento dos números para fazer os cálculos de vida e de KO.

Como melhorar a minha memória operacional: O que eu vou sugerir aqui não é uma estratégia para melhorar a sua memória operacional, mas sim estratégias que podem diminuir o gasto cognitivo que você tem com algumas coisas, para que você possa utilizar melhor em outras. A primeira estratégia que sugiro é a de anotação. No Pokemon TCG é permitido que você leve um papel em branco e uma caneta para uma partida e faça anotações sobre o que quiser durante partida. Lembrando que você não precisa mostrar suas anotações pro outro jogador, mas um juiz pode pedir para ver suas anotações e pedir explicações sobre elas a qualquer momento. Nessa estratégia, durante a sua primeira busca no deck (lembre-se que você não pode demorar muito para fazer isso, pois prejudica o jogo) você anota todos os cards relevantes, tais como Pokemon, Supporters importantes, Energias e cartas essenciais para a estratégia geral do deck. Assim, você não precisa ficar sobrecarregando a sua memória operacional com essas informações. Outra estratégia interessante é baseada no fato de que guardamos melhor informações com diferentes estímulos visuais por causa de uma estrutura denominada esboço visuoespacial, dessa forma, é mais fácil lembrar que você tem dois Sycamores no deck se ambos forem diferentes do que se ambos forem iguais. Então, aproveite que agora a Copag traz cartas reverse para o Brasil e coloque versões diferentes no seu deck para te ajudar a lembrar. O mesmo funciona com cartas promo que possuem diferentes artes (Tapu Koko SM30 e SM31 ein?). Lembre-se de fazer isso somente com as cartas mais relevantes, para não sobrecarregar o seu esboço visuoespacial, ein!

Flexibilidade Cognitiva: Por fim (e que artigo gigante é esse?!), falaremos da Flexibilidade Cognitiva. Como que ela se aplica ao jogo? Pensa na seguinte situação: Você é o segundo a jogar e está com aquela mão que é até roteirizada, você já sabe exatamente cada jogada que vai fazer, e aí seu oponente te dá um N, e você aparece com aquela mão que te deixa com dúvidas cruéis do que descartar, de qual ordem jogar as cartas. O que fazer? Jogadores com melhor Flexibilidade Cognitiva são capazes de elaborar novas estratégias em segundos, após jogadas inesperadas do oponente. Isso vale para tudo no jogo: N, Catcher, um KO no banco, etc.

Como melhorar minha Flexibilidade Cognitiva: Sabe qual é a melhor maneira? Conhecendo toda e qualquer possibilidade de jogada dos seus adversários. E como eu posso adquirir isso? Treinando muito. Só jogando exaustivamente com o deck e jogando contra todos os decks do meta é que você vai adquirir a capacidade de pensar fora da caixa, pensar na melhor jogada possível em uma situação mais improvável. Estudar as cartas mais relevantes do meta também ajuda a se prevenir contra esse tipo de situação. É claro que os jogadores com melhor flexibilidade cognitiva vão adquirir expertise muito mais rapidamente com decks em geral, mas com bastante treino, você pode adquirir essa expertise tão bem quanto qualquer um.

Esse artigo foi para trazer artifícios para novos e velhos jogadores, e trazer um pouco do conhecimento científico que estudamos em Psicologia para o público do Pokemon. Espero de verdade que tenha sido produtivo e que torne a nossa comunidade cada dia mais competitiva! E lembre-se da dica de ouro: Treine, Treine muito, treine até cansar, e quando cansar, continue treinando, assim você chega longe! Um grande abraço!

Quem tiver curiosidade sobre o assunto, o artigo da Diamond é o seguinte:

¹ Diamond, A. (2013). Executive functions. Annual review of psychology64, 135-168.

Estudante de Psicologia, aspirante a treinador Pokemon. Joga as cartinhas desde 2016 e é apaixonado com os padrões comportamentais e cognitivos de jogadores de TCG Competitivo.