Carta da Semana – Lysandre’s Trump Card – Phantom Forces -118/119

postado em: Carta da Semana | 7

Fala galera, tudo tranquilo? Estamos aqui novamente para mais uma “Carta da Semana”, dessa vez falando sobre Lysandre’s Trump Card, que bem poderia ser a carta do mês, quiçá do ano!

Já estava pensando em adquirir a minha FA 🙁

Vivemos um momento histórico no TCG, Lysandre’s Trump Card é apenas a quinta carta a ser banida nos 16 anos de game, a primeira por decisão da Pokémon Company. Mas por quê?

Um pouco de história

Antes de continuar, falemos um pouco sobre a história dos banimentos no TCG. Se considerarmos o fator “jogável” apenas duas cartas tinham sido banidas por serem consideradas prejudiciais ao jogo:

Sneasel (Neo Genesis 25)

Just beat it!

Desde o seu lançamento em 2000 Sneasel dominou completamente o formato.

Sem fraquezas, zero de recuo, e com o benefício de ganhar mais 10 de ataque para cada darkness ligada, seu ataque “Beat Up” fazia valer o nome nocauteando facilmente qualquer Pokémon com um hit.

Foi banida em 2001 pela Wizards of the Coast (Empresa que produzia o jogo antes de ser assumido completamente pela Pokémon Company) antes do evento Super Trainer Showdown, uma espécie de embrião do nacional americano.

Pior que mistura de Seismitoad EX com Stoutland!!!

Slowking (Neo Genesis 14)

O Slowking da Neo Genesis nasceu no Japão apenas como mais uma carta pra completar a coleção.

Sem grande utilidade, seu poder Pokémon “Mind Games” só funcionava se o Slowking estivesse ativo. Toda vez que seu oponente usasse um trainer ele teria que jogar uma moeda. Em caso de cara, o trainer era utilizado normalmente, caso coroa, o trainer não era utilizado e a carta iria pro topo do deck. Com um ataque fraco e um enorme custo pra recuar Slowking não viu jogo até que decidiram mudar intencionalmente a versão americana.

Mind Games” no ocidente passou a poder ser usado do banco, e sem restrição de quantidade.

Vários decks passaram a abusar da habilidade do Slowking, usando quantos pudesse no banco, o que tornava quase impossível o uso de trainers.

Além de não serem utilizados, ainda voltavam para o topo do deck deixando o oponente comprando a mesma carta até o final do jogo. Lembrando que cartas como Sycamore eram trainers também. Tive a oportunidade de enfrentar decks variantes de Slowking na época e digo que hoje Seismitoad EX é até simpático perto dele. Felizmente a Wizards percebeu seu erro em mudar a versão japonesa e baniu a carta no final de 2002.

Birthday’s Pikachu e Ancient Mew

Duas cartas que nunca “viram” o jogo tendo mercado apenas para colecionadores. Birthday’s

“Só um minuto moço, vou pegar minha identidade pra usar o ataque”

Birthday’s Pikachu, carta promocional da era Wizards, possui um ataque que diz que se é aniversário do dono da carta, este poderá jogar a moeda e caso cara, o ataque adicionará mais 50 de damage além dos 30 de base. Muito trabalho pra pouco resultado.

Essa carta já apareceu até no anime!

Ancient Mew nunca teve realmente a intenção de ser jogada. A carta escrita numa espécie de alfabeto rúnico pokémon, trás um ataque que usando duas psíquicas bate 40. Feita em caráter promocional, sua concepção foi pensada exclusivamente para colecionadores.

Do Nascimento ao Topo

 

Voltemos ao Lysandre’s Trump Card. Lançada na coleção Phantom Forces essa carta não chegou a chamar tanta atenção em um formato dominado por Virgen, Yveltal Ex, Donphan, Seismitoad Ex e Variantes fada.

Foi só com a chegada da Primal Clash que seu uso começou a ser mais comum. Os decks passaram a queimar recursos mais facilmente. Cartas como acro bike ajudaram bastante principalmente decks de lock. Exeggutor e Seismitoad EX, que se tornaram amplamente utilizados, podiam aplicar todos os recursos como hammer, laser, head ringer, por infinitas vezes durante a partida.

Archie’s Ace in the Hole foi outra carta que ajudou na compra compulsiva de cartas. Empoleon fez grandes parcerias combinado com Flareon e Exeggutor.

O meta game se formou completamente ao redor de Lysandre’s Trump Card, que era o principal responsável pelo sucesso dos vencedores dos campeonatos que na grande maioria ficava nas maos de Seismitoad EX, Exeggutor, e Flareon, contando com aparições esporádicas de Virgen (Que não se beneficiava tanto de Lysandre’s Trump Card).

O Pequeno Reinado

Agora a parada ficou séria!!!

Foi com Roaring Skies que LTC teve o seu ápice. Shaymin, Sky Field e Trainers’ Mail proporcionaram uma mecânica de compras absurda que secavam completamente o deck em poucos turnos. É interessante notar, que LTC era mais utilizado para reaproveitar os recursos do que evitar a derrota por deck over.

Com o lançamento nova coleção a opção de utilizá-lo para evitar o loss por esta condição se tornou mais comum. Ficamos por um período onde não precisávamos mais nos preocupar com recursos e praticamente perdemos uma condição de vitória. Além disso, Shaymin se deu muito bem com Seismitoad Ex se tornando a versão mais chata do sapão que a gente conheceu! A esta altura acredito que 95% dos decks usavam LTC em sua lista.

O Último Suspiro

Prestando um último tributo ao Lysandre’s Trump Card bem de boas!

O banimento de Lysandre’s Trump Card foi anunciada primeiramente no Japão e confirmada horas depois pela Pokémon Company. É muito interessante lembrar que a decisão do banimento veio um dia após o regional de Winsconsin.

Eu estava assistindo a final em que Jason Klaczynski usando Seismitoad EX/Shaymin EX/Dragalge/Absol ganhou do (teoricamente) pior match para seu deck, o VirGen. Jason conseguiu abusar de de hammers infinitas graças ao uso de LTC.

Com todo respeito ao Jason, que é um monstro no mundo do TCG e que não tem culpa de quais cartas estão disponíveis no formato, eu achei uma partida bem sem graça, com apenas um player jogando e o outro olhando. Creio que a Pokémon percebeu isso também.

Acho que ali a TPCi enxergou o fim para o Lysandre’s Trump Card.

Onde Estamos e Pra Onde Vamos?

Um caminho cheio de opções

Primeiramente foi muito importante esta atitude da Pokémon Company, que visivelmente está cada vez mais preocupada com o seu produto TCG. O banimento aconteceu muito rapidamente, logo após os primeiros torneio utilizando Roaring Skies e isso mostra que estão acompanhando bem de perto tudo o que está acontecendo.

Sobre o Meta game atual quase todos os decks sofreram uma baixa importante com a perda do LTC. Mas não há como negar que Seismitoad EX foi o maior prejudicado. Acredito ainda que o deck tenha chances no metagame, mas a força que ele perdeu pode fazer os players acharem mais fácil buscar outro deck do que pensar em listas sem LTC. Seguem alguns breves comentários sobre LTC nos decks mais conhecidos do formato:

Mega Rayquaza Colorless: O Dragão Branco perdeu um bom aliado mas continua forte. Utilizado com Virizion EX, Empoleon, ou Metal a versatilidade vai continuar sendo sua maior força. O jogador deverá atentar apenas para a economia de recursos já que é um deck que compra muito no início do game. Sem LTC a chave aqui é tentar ganhar o mais rápido possível.

Mega Rayquaza Dragão: Rayquaza dragão é um deck muito combado e evidentemente sofre com locks. Além disso, utilizando Shaymin o player também deverá atentar ao uso consciente dos recursos. De qualquer forma a queda de Seismitoad EX é uma boa notícia para o deck.

Primal Groudon: Lento, mas letal, Groundon nunca se beneficiou de fato de LTC. Indiretamente, o seu banimento foi ruim para o deck. Seismitoad EX será muito menos popular e perder um goodmatch no meta é sempre ruim.

LandBats: Como Groudon, LTC não fez a diferença pros divertidos morcegos e seu fiel parceiro Landorus EX. Mas a equação de Seismitoad EX teve valor contrário para o deck. Com o sapão aparecendo menos, este deck fica ainda mais poderoso visto que este match era bem complicado.

NightMarch: A marcha noturna fica mais poderosa com a queda de LTC. Bastava um uso deste supporter no mid game por parte do seu oponente e uma bad draw pra desmoronar completamente o deck. Combinado a Seismitoad EX então era autoloss. A queda do ruivo e o provável sumiço do sapo só deixa o cenário mais positivo para o uso deste esquadrão.

Variantes Raichu: Talvez o principal impacto da queda de LTC seja a diminuição ou até mesmo o sumiço dos Leafeon’s que frequentemente acompanhavam este deck. Raichu está obtendo bons resultados acompanhado de morcegos atualmente e parece que vai ser um deck que continuaremos a ver por um bom tempo.

Metal: Metal continua sendo “o deck que não foi”. Muito se falou, mas pouco se viu e o futuro deste deck pra mim é uma incógnita. Aegislash EX pode se beneficiar de um formato com muitas energias especiais e o set de metal tem outras cartas na manga, como aceleração de energia do Bronzong, lock de Dialga, e o Rayquaza Colorless para efetuar os hits mais pesados. A queda de LTC e diminuição de sapos pode ser o que faltava pra este deck brilhar.

Mega Manectric: Este cachorro nervoso nunca foi grande beneficiado pelo uso de LTC. O match contra sapo era bem tranquilo, graças ao recuo zero e o stadium Rogue Seas. Logo acaba sendo um pouco ruim a queda do mesmo. Falando de futuro do deck acredito que o parceiro perfeito para o Manectric ainda não chegou. Muito leve, ele pode encaixar facilmente o Garbodor na lista, mas aquele Pokémon ideal pra receber as duas energias do descarte ainda está por vir. (eu acho).

Virgen: O rei da consistência perde um pouco com a diminuição de Sapos. Mas estes já não eram aquele goodmatch de outrora (vide regional de Wisconsin). Portanto a queda de LTC não influencia em muita coisa pro Virgen. Esse deck é aquele que independentemente da coleção vai rodar até as cartas caírem. Imune a mudanças de formato o seu fim se dará somente com a rotação. (Ou por enjoo dos players o que é mais provável).

Seismitoad Ex: Sem dúvidas o deck que mais foi prejudicado com a queda do LTC. Acredito que ainda veja jogo com a lista certa, mas como foi dito, parece mais fácil acontecer a migração dos players para outros decks. Até pelo fator novidade. Se for mesmo a última aparição do sapo, vai se despedir como uma das cartas mais marcantes e polêmicas da história do TCG.

Não é pra tanto!!!

Abaixo as opiniões dos nossos colaboradores sobre o banimento do LTC:

Leandro Ferreira: “Realmente esta carta fazia mal ao jogo. Os motivos para seu banimento são totalmente justificáveis, mas tinha que ser logo no final da temporada? Vários jogadores tinham se preparado para seus respectivos nacionais e agora eles tem de ficar no desespero para montar um deck do “novo formato” para o mundial.

O legal desse banimento é que agora mais do que nunca podem surgir deck mais loucos neste formato onde “tudo roda”. Já me esbarrei contra alguns decks sem noção no TCG ONE, como o padawan do Durant (Bunnelby), que com este banimento traz de volta a chance de ganhar pela condição de deck over.”

Walysson “Sonson” Couto: “Ufa! Baniram Trump Card. Uma carta que tira totalmente o estilo que o jogo estava levando. Depois de Junk Arm, acreditava que guardar recursos iria fazer o formato bem mais técnico. Mas com a chegada de Roaring Skies o que ficou comprovado foram os 8 Shaymin no turno, martelos e super “colheradas” (rs…eterno).

Pra mim demorou a banir, a maioria das pessoas que estava usando Sapo com Shaymin com LTC eram pessoas sem skill onde dependiam basicamente de sorte.
Quando colocaram errata no Catcher, ‘nerfaram’ a carta colocando um flip. Trump é tão forte nesse formato que a melhor saída foi fazê-la virar a terceira carta a ser excluída do TCG.
Para todos os amantes do jogo mais difícil, obrigado TPCi.”

Realmente Lysandre…

Conclusão

Mais importante que o benefício para o formato e termos de volta a possibilidade do deck over, a queda de Lysandre’s Trump Card representa que a Pokémon está mais próxima da comunidade, ouvindo os players e visualizando o jogo, trabalhando pra mantê-lo divertido e desafiador.

Vivemos os melhores tempos no TCG Pokémon.

E você tem algo a comentar sobre a queda do LTC? Sintam-se a vontade para discutir com a gente nos comentários.
Um abraço e até mais!

Gustavo Rodrigues é fan dos primeiros 150 pokémon, simpatiza com outros, sente saudades de quando 120 de hp era “tank” e acredita que um dia ainda será um rockstar.

  • Júnio Gonçalves

    VirGen agora some de vez mesmo. Os decks que teoricamente são tier 1 (landbats, nightmarch, raichu) comem VirGen, o que faz com que ele suma de vez.

    • Gustavo Rodrigues

      Esse deck já provou que é osso duro de roer independente do formato. Você tem razão Júnio, tudo indica que a caminhada do VirGen tenha chegado ao fim, mas não me surpreenderia se aparecessem mais alguns nos tops pelo mundo.

  • Gostei muito do artigo e, de início, não fui muito com o banimento da carta, depois me convenci.

    Acredito que, por enquanto, veremos dois ou três decks muito fortes, já que resta pouco tempo para testes até os nacionais e mesmo para o Mundial, porque é um formato totalmente novo. Também acredito que o prazo de validade curto do formato (só até o mundial, no início de agosto) também atrapalha novas ideias a surgirem.

    Fico aguardando o giro de formato e o lançamento da Bandit Ring, que parece ser um excelente set… Quem sabe nos primeiros League Challenges da próxima temporada nós não tenhamos ideias realmente mirabolantes e não passamos a viver um jogo bem mais divertido e desafiador, aos moldes do que já foi, mas mantendo o que o jogo ganhou através do tempo.

    Parabéns, Rodrigues, excelente artigo.

    • Gustavo Rodrigues

      Acredito que possam aparecer até mais que três decks muito fortes ai Simões, vamos aguardar os resultados. Bandit Ring realmente promete muito. Haja “Carta da Semana” pra aborda-la, hehe.

      Tomara que os decks malucos entrem em cena, são sempre uma atração a parte no início de temporada.

      Valeu o elogio, um abraço!

  • Matéria bem completa. Muito boa mostrar essa visão desde o começo do jogo.

    Eu achei os motivos do banimento dela muito bons …assim além de ter mais uma chance de vitória, por deck out, temos também um leque bem maior de decks que podem rodar. Principalmente rogues *-* (Na minha visão)

    • Gustavo Rodrigues

      Boa noite Jefferson,

      Que bom que você tenha apreciado. Espero que tenha agregado conhecimento de forma a tornar o seu gameplay melhor.

      Com certeza os rogues vão começar a aparecer mais. Principalmente depois do mundial no início da nova temporada.

      Obrigado pelo prestígio, é sempre uma satisfação ter você comentando em nosso site.
      Fique atento nas futuras matérias!

      Abraço!

  • Douglas

    Porque param com a coluna???? ;-;