Donphan – O perigo atrás das paredes

postado em: Análise de Decks | 1

Fala galera, prazer, meu nome é Vitor Piazzarolo (Pizza, como sou conhecido pelos jogadores), e hoje eu trago para vocês minha primeira análise de um deck que por muito tempo foi temido no espaço competitivo. Após a entrada da coleção Phantom Forces (PHF), o famoso deck de ‘’bater-correr’’ Donphan.

O deck de Donphan acabou perdendo espaço após os decks de Seismitoad EX e decks com Crobats começarem a aparecer muito no metagame, sendo que o Crobat na minha opinião é a principal fraqueza do deck por conseguir causar dano no Donphan mesmo no banco e pela sua ability completar danos no grande elefante.

Após o banimento da carta Lysandre’s Trump Card, o deck de sapo perdeu um pouco de espaço no meta e fez alguns decks ficarem fortes de novo, como é o caso do Landorus/Crobat, Night March, e trouxe alguns novos decks para o meta como é o caso do Raichu/Leafeon/Shaymin, sendo que os dois últimos decks citados tem uma certa fraqueza contra o deck de Donphan.

Hoje em dia acredito que o deck continua sendo uma boa opção no metagame, sendo que é um deck que possui uma grande variedade de ‘’techs’’, o que o torna um poderoso deck anti-meta. Joguei com ele após o lançamento da coleção PHF e continuo com ele até o final da temporada (em agosto). Mas vamos ao que interessa, que é a lista base:

Pokémons:

4x Donphan
4x Phanpy
3x Hawlucha
2x Wobbuffet
1x Sigilyph

Treinadores:

4x Professor Sycamore
4x Korrina
3x N
2x Lysandre
1x Teammates
1x Colress

1x Computer Search

1x Ultra Ball
3x VS Seeker
1x Professor Letter
1x Escape Rope
2x Muscle Band
2x Float Stone
2x Silver Bangle
2x Robo Substitute

4x Fighting Stadium

Energias:

4x Fight Energy
4x Strong Energy
3x Double Colorless Energy

Donphan – O principal batedor do deck, possuindo dois ataques, o primeiro ataque causa no mínimo 40 de dano e você é obrigado a voltar ele para o banco e subir um novo ataque. Com Muscle e Strong, o dano sobe para 80, com o FightingStadium, o ataque sobe para 100 caso o Pokémon defensor seja EX, ou 110 caso você use a Silver Bangle no lugar da Muscle.

Hawlucha – Um Pokémon MUITO forte no início do jogo, possuindo um ataque extremamente forte contra os Pokémons EX do oponente. Causando 60 de dano no mínimo com apenas uma energia, seu ataque pode subir para até 130 se fizer o combo completo.

Wobbuffet – Um Pokémon extremamente importante por poder atrapalhar o início do jogo do seu oponente, já que ele bloqueia as abilitys dos Pokémons em jogo e fora de jogo que não são psíquicos quando está ativo.

Sigilyph – Extremamente importante contra os EX do seu adversário, já que ele não leva dano e nem efeito de ataques que deem alvo nele.

Robo Substitute – Ele serve para ‘’aumentar’’ o número de prêmios que seu oponente precisaria pegar matando ele, já que quando ele morre seu oponente não pega nenhuma carta prêmio.

Korrina – O suporte mais importante do jogo. Acelera seu setup podendo buscar alguns combos que você precisaria durante o jogo.

Cartas a serem pensadas dependendo do meta:

Primal Groudon – Um Pokémon muito imporante em um meta com muitos decks de Sapo e outros que usam remoções de energias, já que ele possui uma barrier que o protege de efeitos de Suportes, Itens e Stadiums. Ele seria o finalizador do deck em um Late Game.

Silent Lab – Um Stadium que pode atrapalhar mais o oponente do que a você mesmo. Caso você não consiga um Wobbuffet no início do jogo, você consegue ter essa opção como bloqueador de abilitys.

Mewtwo EX – Extremamente rápido e forte, pode ser outra boa opção de counter no formato.

Mr. Mime – Extremamente importante em um meta com Pokémons que causam dano no banco.

Magnetic Storm – Um Stadium muito bom contra os não EX que possuem resistência contra o tipo Lutador, como é o caso do Crobat, que é o pior inimigo do Donphan.

Conclusão:

Conquistei apenas dois campeonatos, sendo um pequeno da UG (loja onde jogamos em BH) e um Victory Road, e fiz outros bons resultados, sendo vice-campeão de um Victory Road e o Dyego’s Open, que foi o último torneio em que joguei. No Nacional consegui ficar em 62º lugar, no regional consegui ficar em 10º e no City em 12º. Mas no cenário nacional e mundial, o deck conseguiu conquistar grandes regionais e conseguiu top em dois Nacionais, sendo que em um deles (do México), conquistou o título. Em minha opinião, é uma boa escolha para poder jogar o Mundial.

Agradecimentos:

Agradeço ao Pedro Sales, que me deu a oportunidade de escrever para um dos maiores sites sobre Pokémon TCG do Brasil, foi uma honra escrever para vocês e espero trazer mais análises e quem sabe até alguns reports.

Nascido em Belo Horizonte em 1994. Jogador de Pokémon TCG desde 2005 que adora jogar com decks diferentes a cada campeonato.

  • juniogof

    Parabéns Pizza!