M-Gardevoir Ex / Xerneas Break

postado em: Análise de Decks, Anuncios, PRC-ON | 1

E aí galera, os treinos para o formato Primal Clash-ON não podem parar. Os campeonatos mensais estão sendo (mais uma vez) um sucesso em BH e eu gostaria de agradecer ao empenho de todos os jogadores que estão participando assiduamente disso, fazendo o jogo continuar crescendo e se esforçando pra que continuemos a ter outros grandes resultados na temporada 2017.
Semana passada o Christian fez uma excelente análise sobre Darkrai-Ex/Giratina-Ex para o novo formato (que você pode conferir clicando aqui), então hoje, trago para análise Mega Gardevoir-Ex. Um deck que já deu as caras em formatos passados na variação com Aromatisse, abusando de sua habilidade Fairy Transfer e Max Potion, movendo as energias básicas entre os atacantes e curando o dano acumulado. Uma variação bem Tank, mas que não veremos a partir de agora, pois com a saída da Aromatisse do formato, o deck deve se comportar de maneira diferente, mais agressiva, e isso veremos logo a seguir.
Queria lembrar também que essa é apenas uma lista base, montada de acordo com as minhas preferências de jogo. Como estamos no começo do formato, muita coisa ainda deve mudar de acordo como o meta irá se comportar no futuro. Até lá, vamos tentar explorar o máximo de potencial do deck, tratando de algumas partidas e possíveis techs relevantes para seu desempenho.

Introdução

A estratégia inicial do deck é bem óbvia, buscar aceleração de energias T1 com Max Elixir junto ao bom e velho Xerneas finalizando o turno perfeito com Geomancy carregando dois atacantes no banco simultaneamente. E após conseguir uma quantidade significativa de energias em campo, manter o fluxo de ataques de alto dano.

Esse deck pode ganhar seu espaço em meio ao cenário atual pelos seguintes fatores: (1) Não depende tanto de habilidades. Sem uma ferramenta eficiente de remoção de tools, é de se esperar que Garbodor se torne cada vez mais comum no meta se beneficiando disso. O que não irá nos atrapalhar, pelo contrário, a linha de Garbodor no deck oponente irá se tornará cartas mortas, prejudicando sua consistência. (2) O deck apresenta um potencial de dano que permite nocaute em um hit em todos os Mega do formato com Mega Gardevoir, em um momento do meta em que pouquíssimos decks se dão ao luxo de alcançar essa base de danos, o que pode ser um diferencial. Além de ter ganho um segundo atacante, Xerneas Break, ajudando na troca de prizes e batendo significativamente com facilidade. (3) O deck demonstrou uma match muito favorável contra Darkrai/Giratina, que ganhou muito espaço e vem sendo cada vez mais utilizado nos últimos campeonatos ao redor de todo o mundo, além de lidar muito bem com Mega Alakazam e Mega Mewtwo-Ex.

Tudo isso vem indicando que essa pode ser uma opção relevante, que deve ser considerada para torneios.



Card by Card

Pokémon

Xerneas Break4 Xerneas: O start perfeito para o deck, a aceleração com Geomancy é fundamental para que o jogo flua bem. Seu reprint na Steam Siege garantiu mais um bom tempo no formato, sendo ele a ignição que torna o deck de fadas viável. E, agora, com o Break não há nenhuma dúvida que esses quatro slots iniciais valem ainda mais a pena. Também não há qualquer motivo para considerar utilizar outro Xerneas além daquele com ataque Geomancy, queremos startar com ele.

2 Xerneas Break: Atacante não -Ex do deck. Para partidas em que a troca de prizes não compensa fazer Mega Gardevoir (basicamente contra outros pokemon não Ex) ele traz a vantagem de montar rápido T2 e de dano significativo com um simples settup de Geomancy e algum possível Max Elixir no T1, permitindo ao deck melhor resposta e agressividade numa trocação rápida. Para os outros casos, ele se apresenta perfeitamente no mid/late game quando sua contagem de energias em campo está mais elevada, seja para iniciar a pressão de dano no oponente, como também para dar resposta rápida a um KO, fazendo um papel de revenge kill e dificultando a troca de prizes para o adversário.

gardevoir-ex steam siege3 Gardevoir-Ex: O ataque Link Blast da nova Gardevoir-Ex foi o diferencial para sua escolha entre a antiga. 30+70 caso o pokemon ativo do oponente tenha a mesma quantidade de energias anexadas a esse pokémon. Isso significa um dano rápido de 100 caso os dois ativos tenham 2 energias anexadas, o que será muito útil ao enfrentar decks que atacam com 1 DCE por exemplo, um Zoroark poderia ser nocauteado assim. Ou então você poderia colocar pressão em um Darkrai-Ex, o ameaçando de 2HKO apenas com uma Gardevoir que ainda não evoluiu!

2 Mega Gardevoir-Ex (Primal Clash): Seu atacante principal. É o pokémon que alcançará os nocautes em um hit para o deck, alcançando todos os números mágicos com seu ataque Brilliant Arrow, batendo 30x o número de energias de fada anexadas a seus pokémon. Desse modo, com 6 energias, 180 de dano. 7 energias, 210 de dano. 8 energias, 240 e assim sucessivamente de acordo com as necessidades da partida que encarar.

mgardevoir steam siege1 Mega Gardevoir-Ex (Steam Siege): Inicialmente era apenar uma tech específica para o meta local, entretanto, o benefício de seu uso tornou esse espaço fundamental no deck. Sua grande vantagem é atingir a fraqueza psíquica de decks relevantes para o formato PRC-ON. Por apenas duas energias ela nocauteia em 1hit Mega Mewtwo-Ex e Mega Alakazam-Ex, feito que tornam essas matchs infinitamente mais fáceis, uma vez que é possível colocar tanta pressão batendo +220 desde o T2. Além disso, o efeito do ataque ainda pode tirar do seu banco possíveis alvos para seu oponente.

klefki1 Klefki: A grande maioria dos decks do cenário atual são baseados em Mega evoluções. Dessa forma, é fundamental que você esteja preparado a lidar com eles durante torneios, o que também significa proteger seus atacantes deles, por isso a inclusão da cópia de Klefki. Por mais que você tenha preguiça de ler a carta sua habilidade é muito útil. Quando esse pokémon estiver no seu banco, você poderá ativar esse efeito, descartar todas as cartas ligadas ao Klefki (tools, energias), e anexar esse pokémon no seu ativo como uma tool. E assim, seu pokémon ativo não poderá sofrer nenhum tipo de dano de ataques por Mega evoluções. O Klefki será descartado ao fim do turno do seu oponente. Garantindo então, um turno de segurança para o seu ativo, o que pode mudar significativamente o rumo de uma partida, uma vez que não temos nenhuma ferramenta eficiente para remoção de tools no jogo.

Observação: Klefki não será descartado caso seu oponente use Hex Maniac na sequência do seu turno, pois a partir desse momento ele já será tratado como uma tool.

2 Shaymin-Ex: Não há o que dizer. Fundamental para o poder de compra e settup do deck.

1 Hoopa-Ex: Acredito que também tenha alta importância para montar o jogo, pois você nunca vai querer dar um Geomancy T1 mas só ter 1 pokémon no banco. Então buscar alguma combinação de Gardevoir, Mega e Shaymin-Ex com apenas 1 ultra ball pode salvar seu settup.

Treinadores

3 Sycamore e 3 N: Essa contagem de suportes de compra sempre agradou mais ao meu estilo de jogo, mas se tratando a esse deck acredito também ser o ideal, pois permite um melhor controle de recursos durante o jogo que não acredito ser tão efetivo com 4 Sycamore e 2 N, que é o padrão em muitos deck standard. Tentar não desperdiçar recursos.

2 Lysandre: Novamente, adequado ao meu estilo de jogo. Acho 1 cópia pouco, 2 me passam mais confiança aos catchs quando necessário.

3 VS Seeker: Uma coisa foi determinante para mim definir a contagem de VS Seeker nesse deck como 3 e não 4 como vinha fazendo no formato passado: a quantidade de suportes diferentes que uso no deck. Com Battle Compressor fora do formato, não sinto que seja consistente como antes, manter no deck diversas cópias unitárias de suportes como vinhamos fazendo. Praticamente todos os decks poderiam rodar 1 Xerosic, 1 AZ, 1 Hex Maniac, 1 Skyla, 1 Lysandre e isso seria normal, pois era possível descartá-los no começo da partida sem prejudicar a fluidez do deck durante o jogo. Entretanto isso deve mudar nesse novo formato e esse será um fator que irei considerar em todos os decks que montar.

0 Pokémon Ranger: Não há nenhum efeito de ataque no meta que vá comprometer esse deck ao ponto de fazer valer o espaço.

0 Ninja Boy: Carta muito situacional, principalmente se tratando de um deck em que os atacantes principais são evoluções. Consigo pensar que possa ajudar em momento que você starte com um Hoopa-Ex e tenha em sua mão uma ultra ball, nesse caso, seria a melhor coisa no mundo que poderia acontecer para ajeitar um começo ruim. Mas continua sendo uma situação muito específica de jogo, então por minha opção, não usaria aqui.

3 Fairy Garden: Já que o deck vem se tornando mais agressivo do que antes da rotação, não há tanta necessidade de “tankar” trocando diversas vezes durante o jogo seu pokémon ativo. 3 estádios supriram bem minhas necessidades de recuo durante as partidas.

1 Escape Rope: Está no deck para tentar facilitar o Geomancy T1 caso você não dê start de Xerneas, remover condições especiais se necessário, tentar evitar que o oponente controle tanto o jogo oferecendo pokémons que eu não quero/consigo nocautear, e claro, recuar caso não tenha um Fairy Garden em campo ou mesmo uma energia de fada no ativo.

exp. share2 Exp. Share: Essas tools estão no deck para manter as energias em campo mesmo quando algum dos seus pokémon for nocauteado. Prioritariamente devem ser anexadas aos Xerneas, garantindo que você tenha respostas rápidas e que o dano dos ataques não seja tão comprometido.

3 Gardevoir Spirit Link: Garantem que você não perca seu turno ao mega evoluir.

4 Trainer’s Mail: Existem diversos trainers que você deseja encontrar durante as partidas nesse deck. Seja um Max Elixir para aumentar o dano, um Spirit Link para não perder o turno, um Stadium pra recuar, um Suporter do turno, então para qualquer situação, é bom utilizar 4 para ter mais métodos de pesquisa no deck e fazer seu jogo fluir.

3 Max Elixir: O ideal será utilizar quantos você puder antes mesmo de dar o primeiro Geomancy, pois a probabilidade de acertar tende a diminuir conforme o decorrer da partida. Portanto acredito que seja demais utilizar 4, entretanto, pouco usar apenas 2, já que seu efeito teria um impacto significativo acelerando ainda mais o dano causado.

4 Ultra Ball: Ainda não vale usar 5?? Não existe discussão, sem ela não tem settup a não ser que venha a mão perfeita.

1 Super Rod: Voltar recursos durante o jogo que podem ter ido pro descarte. Seja um Klefki, algo que teve que ser sacrificado na Ultra Ball, ou mesmo um bocado de energias.

Energias

10 Fairy Energy e 2 DCE: Uma contagem de energias relativamente ousada e baixa. O ideal seriam pelo menos 12 energias de fada na minha opinião, pois aumentam muito as chances de acertar um Max Elixir mesmo após um golpe de Geomancy. Entretanto há ganhos em utilizar as 2 DCE que compensam o espaço utilizado. Mega Gardevoir ataca com uma energia de fada e 2 incolores, desta maneira, utilizar a DCE deixaria menos energias de fada expostas, reduzindo o risco de perder poder de ataque caso ela venha a ser nocauteada. Além disso, ao anexar uma DCE em uma Gardevoir, o dano causado pelo Xerneas Break aumentaria em 40, apenas com o anexo de energia do turno, quebrando a linearidade de aumento de dano de 20 em 20, fator que seu oponente deverá considerar a todo momento na partida. Outro fator relevante: o recuo da maioria dos pokémon do deck é de 2, então isso pode ajudar em casos de muita necessidade de recuo, sem precisar sacrificar as energias de fada, comprometendo o poder de ataque.


Possíveis Techs

Gostaria de comentar um pouco também das possíveis cartas a se adicionar na lista. Muitas delas eu não consegui colocar por falta de espaço, mas fazem uma boa diferença no andamento do deck.

SkylaBuscar qualquer trainer que necessário para a jogada é foda. Gosto muito de Skyla mas tive que definir algumas outras prioridades na lista.

EvosodaNão é muito comum, mas também não é difícil perceber os benefícios de uma carta que buscaria minhas evoluções sem desperdiçar recursos numa Ultra Ball, em um deck que conta com Break e Mega evoluções. Adição interessante a se pensar.

Mega TurboUma outra maneira de reciclar energias no late game que pode ser levada em conta. Não vejo como uma prioridade porque conseguir o Geomancy T1 é muito mais importante e significativo no rumo do jogo, e Max Elixir te ajuda com isso principalmente nas matchs onde não há start de Xerneas. Entretanto, reconheço que pelo menos 1 cópia seria muito bem vinda à lista.

Parallel CityUma cópia de Parallel City pode limpar seu campo de todos os Shaymin/Hoopa-Ex que você precisou para o settup e que agora são alvos para seu oponente. Mas principalmente, é fundamental na match contra Mega Rayquaza-Ex, limitando o dano do dragão branco a 90 até que ele encontre outro stadium e consiga encher o banco novamente. E ainda existe a possibilidade de prejudicar o dano de alguns adversários esporádicos como Mega Sceptile-Ex, Greninja, Flareon-Ex e etc.

Hex ManiacNovamente, é uma carta situacional para algumas partidas, vale pensar sua adição de acordo com o meta local pois existe um bom benefício em seu uso. No caso da match contra Mega Rayquaza-Ex, vai ser sua maior alegria conseguir acertá-la no T1 impedindo o settup adversário ou então após baixar um Parallel City tornando impossível uma recuperação naquele turno.


Outras variações

Xerneas Break/Giratina-Ex

Muitos players estão apostando na combinação de Xerneas Break com Giratina-Ex, utilizando dos anexos de DDE para maximizar o seu poder de ataque. O maior problema dessa variação é: Double Dragon Energy (DDE). Uma energia especial que só pode ser anexada em dragões. Então nos momentos em que você precisa do dano extra, mas não quer baixar um dragão Ex que não vai te ajudar no jogo, não há outra opção. Além disso, muitos decks estão utilizando Pokémon Ranger, Hex Maniac e até mesmo Garbodor. Diminuindo a eficiência do lock de Giratina-Ex em seu ataque quanto à sua habilidade de defesa contra Megas.

ZebstrikaEntretanto, essa variante apresenta uma vantagem grande em relação a de Mega Gardevoir em relação à Match contra Mega Rayquaza-Ex, pois nela é possível montar rápido Giratina-Ex. Isso combinado ao uso de 2 Enhanced Hammers, garantem que o adversário tenha sempre que escolher cautelosamente a respeito do uso de Pokemon Ranger e Hex Maniac, já que não poderá utilizar os dois ao mesmo tempo. Algumas linhas de Mega Rayquaza estão utilizando uma linha de 1-1 Marowak para impedir o efeito de ataques e remover esse empasse, então tenha em mente um Lysandre nos Cubones para prevenir isso caso venha a utilizar essa variação.

Zebstrika

Já que estamos tratando de counter de Mega Rayquaza-Ex, essa zebra não-Ex pode o nocautear com 2 energias incolores em apenas 1 hit e tornando a troca de prizes completamente desequilibrada para seu oponente. Essa vantagem se estende ainda para outros atacantes como Yveltal-Ex, Lugia-Ex e claro, para um frágil Shaymin-Ex. Além disso, o anexo de energia pode ser feito via DCE, aumentando o ataque de Xerneas Break em +40  a qualquer momento, o que é sempre muito bem vindo


Conclusão

Então é isso pessoal, como vocês perceberam, há um bom potencial nas variantes de Xerneas Break para se adaptar de maneiras bem distintas e conseguir uma melhor resposta ao metagame. É um deck muito divertido se se jogar e acredito que apareça futuramente não como Tier 1, mas conquistando alguns tops em certas oportunidades.

Sintam se à vontade de comentar o que estão achando das análises, dar sugestões, críticas, tanto aqui como na nossa página no Facebook, seu feedback é muito importante para nós. No mais, até a próxima análise o/


 

Mineiro de Belo Horizonte, cresceu jogando Pokémon nos consoles.
Jogador do TCG competitivo desde 2014. Estudante de Engenharia Civil e contrabandista no TCG Online nas horas vagas. Não perde uma oportunidade em conhecer novas estratégias e experiências de jogadores mais antigos, pra quem sabe conseguir crescer mais no jogo.
  • Vitor Miagava

    Ótima matéria André, realmente me parece um deck gostoso e competitivo de jogar, parabéns pelo modo como a equipe TCGMG explica as cartas dos decks, materia muito bem estruturada!