Report League Cup Taberna dos Games – Victor “NM” Freitas

Olá, pessoal. Meu nome é Victor Freitas e vim comentar sobre minha experiência no League Cup de Belo Horizonte. (Spoiler: Eu estava com Night March montado, mas insistiram que não era Expanded então tive que jogar de M Gardevoir).

Um fato interessante é que acabei indo pra BH de última hora. Eu pretendia passar esse League Cup e ir só nos próximos, mas acabou que eu fui, e com direito a uma aventura: não havia mais passagem Rio-BH disponível, mas faltando 5 minutos pro último ônibus sair, houve um cancelamento e eu aproveitei.

O fato é que valeu a pena demais, independente do resultado.

O Deck

Resolvi usar meu deck preferido do formato: M Gardevoir EX STS.

Só restava decidir se eu adicionaria os Fairy Drops ou não. Mas depois de conversar com o LangoLango, acabei adicionando.

Segue a lista

 

O Torneio

Round 1 – Dyego Rathje (Yveltal/Garbodor)

Não é exatamente o oponente que eu gostaria de enfrentar assim tão cedo, mas fazer o quê.

Gardevoir tem certa vantagem contra Yveltal, mas não deixa de ser uma match equilibrada. Minha sorte é que ele não começou muito bem em nenhum dos dois jogos.

No primeiro deles, inclusive, tivemos um draw pass dos dois lados por vários turnos, mas consegui comprar algo antes.

O segundo teve mais jogo e os Crushing Hammers foram um perigo, mas meu deck fez o que tinha que fazer e eu levei o jogo.

1-0-0


Round 2 – André Porto (Greninja)

Meu medo era Faded Town, mas ele usava Silent Lab (o que ainda é ruim pra mim, no caso).

O primeiro jogo ele não começou de Talonflame. Meu foco foi deixá-lo sem bons atacantes, prizes eram só consequência. Silent Lab era um perigo mas felizmente eu uso 4 Sky Field e uma boa linha de supporters para sobreviver no late game. Demorou bastante mas consegui levar o primeiro jogo.

No segundo, ele não começou de Talonflame novamente. Conforme o jogo seguia, percebi que não haveria como terminar 3 jogos de forma alguma e tentei garantir um 2-0.

Chegou um momento em que eu tinha o jogo ganho, era só usar Sky Field e Ultra Ball pra Hoopa pra finalizar o combo e nocautear um Greninja BREAK com o dano exato. Mas o missplay falou mais alto e eu desci o Hoopa ANTES do Sky Field. Genial…

Ali eu sabia que dificilmente ganharia e tentei tankar com Hoopa e Dragonite enquanto esperava comprar a Hex Maniac. No fim deu 3 turnos enquanto ele jogava e ele estava com tudo pronto pra ganhar no próximo turno contando com a Giant Water Shuriken. Mas no meu turno finalmente comprei a Hex. Ele não conseguiu pegar os últimos prizes e ficou 1-0.

2-0-0


Round 3 – Julian do Axé (Volcanion)

Volcanion não é bad match mas é perigoso. Lembro que no primeiro jogo meu oponente não comprou bem e eu acabei levando apesar de ter demorado um pouco.

O segundo jogo foi bem equilibrado, mas o Rattata nos prizes me deixou muito pra trás, me impedindo de nocautear um Volcanion EX num momento crucial. Ele ganhou e o tempo acabou. Empate.

2-0-1


Round 4 – Pablo Bernardino (Volcanion)

Outro Volcanion, por mim tudo bem, desde que não fosse o Rayquaza que estava com uma pontuação semelhante.

Não lembro muito bem, só sei que foi equilibrado. Ele começou e ganhou o primeiro jogo, eu comecei e ganhei o segundo. Por fim, deu tempo no início do terceiro.

2-0-2


Round 5 – Felipe Ponce (M Mewtwo/Garbodor)

Esse era “win and in”. Depois de empatar duas seguidas, eu TINHA que ganhar essa. Sonson acabou caindo com o meu maior medo, Rayquaza (RIP), e sobrou o M Mewtwo pra mim.

Bom, obviamente era a melhor match possível mas eu a visualizei tão a sério quanto todas as outras. Primeiro porque era o Ponce, e segundo porque… Mewtwo + 5 energias + Garbodor + N = Perigo.

É importante montar duas M Gardevoir (a segunda com pelo menos uma energia) antes de tomar o N do lategame porque se um Mewtwo te nocautear e você ficar um turno sequer sem reação, acabou pra você. Por esse motivo, em um dos jogos eu cheguei a passar sem atacar (enquanto evoluia uma Gardevoir sem o link).

Afinal eu estava com 4 prizes e não precisava nocautear um Mewtwo sem energia enquanto ele montava outro no banco e me dava um N da morte.

De qualquer forma a partida terminou 2-0. Eu estava no Top8 (e ainda entrei em primeiro)!

3-0-2


Top 8 – Julian do Axé (Volcanion)

O interessante é que 4/5 dos meus oponentes entraram no Top 8.

De qualquer forma eu estava bem nervoso nessa partida, porque precisava ganhar só mais essa pra pelo menos garantir CPs.

As partidas foram mais tranquilas que no suíço porque o deck rodou super bem e nenhum Rattata foi pros prizes.

4-0-2


Top 4 – André Porto (Greninja)

Greninja conseguiu lidar com o Rayquaza então eu não precisava me preocupar com nenhuma autoloss.

No primeiro jogo mais uma vez o deck rodou muito bem (e se não me engano eu que comecei), Fairy Drop e Sky Field me ajudaram e acabei ganhando. Não lembro muito bem dos detalhes mas foi um ótimo jogo.

No segundo ele começou de Talonflame + Froakie e passou, eu fiz algumas ações sem usar Supporter e passei, e então ele atacou com Talonflame e passou. Eu encontrei um Lysandre e nocauteei o Froakie.

No turno dele, fez uma jogada Froakie + Wally, mas fez o misplay de ter pegado outro Frogadier pra mão (sem contar que havia um nos prizes). Ao perceber isso, ele concedeu na hora.

5-0-2

 

Final – Dyego Rathje (Yveltal/Garbodor)

Vou começar dizendo que os jogos foram ótimos. Nesse ponto no meta já virou regra que um jogador experiente + Yveltal = partida interessante.

No primeiro jogo tive um começo bem mediano (até meio ruim) e ele pôde me atrasar com Crushing Hammer me obrigando a preservar bem meus Mega Turbo, enquanto montava atacantes. Eventualmente eu não pude acompanhar.

 

No segundo jogo eu fiz a jogada arriscada de descartar todo o meu banco (incluindo Gardevoir com Spirit Link) pra me proteger do Fright Night, mas depois tive dificuldades para montar outra M Gardevoir.

Chegou um momento em que eu estava com uma M Gardevoir atacante sem dano e uma Gardevoir sem energia no banco e sem cartas de compra na mão e nem energia. Ataquei o Yveltal EX uma vez pra nocautear no próximo turno, comprar dois prêmios e provavelmente sair daquela situação.

Mas na vez dele, ele usou Evil Ball mas descartou uma energia minha com Team Flare Grunt (ele sabia que eu não teria resposta por causa da minha mão no momento). Achei que eu tivesse perdido ali mesmo (e ele também), mas meu top draw foi um milagroso Dragonite, me permitindo comprar tudo que eu precisava pra disparar à frente no jogo, já que não havia Garbodor em jogo.

 

No terceiro jogo começou equilibrado. Eu estava evitando ao máximo dar prizes. Chegou um momento em que eu tinha 4 prizes e ele 6, mas minha situação no jogo em si estava ruim pois eu tinha dois M Gardevoir com dano. E então o tempo foi chamado.

No turno dele, ele atacou de Fright Night deixando a M Gardevoir ativa à beira da morte e a do banco com mais ou menos 120 de dano. A do banco estava sem energia e minha sorte foi ter comprado energia e Mega Turbo de um N pra 4 (pra mim) que usei nesse turno. Recuei, liguei energia, mega turbo e depois de muito pensamento, descartei meu banco nocauteando o Fright Night.

Ele não tinha Yveltal EX no banco, mas havia 3 Max Elixir no descarte, significando que havia a possibilidade de montar um Yveltal EX com o último Max Elixir e ganhar o jogo. Foi um momento de muita tensão pra mim, mas ele já sabia que tinha perdido porque na realidade só usava 3 Max Elixir no deck, então simplesmente não havia como ganhar naquele turno.

Se não fosse pelo tempo, eu claramente teria perdido. Mas tempo faz parte do jogo e é algo que deve ser levado em conta.

Enfim, fiquei muito feliz pela vitória, ainda mais por ter sido uma partida em que fiquei tão próximo de perder de 2-0, além de me ter feito pensar bastante.

Considerações Finais

Fiquei bem animado pela vitória e pelos 50CPs. Agora tenho humildes 77/350 com espaço pra mais um Cup, então comecei bem a temporada pra alguém sem pontos do Mundial ou do Internacional de Londres. A qualificação pro Worlds 2017 acaba de ficar um passo mais próxima.

Então é isso, gostaria de agradecer ao pessoal de BH pela hospitalidade de sempre. Sempre um prazer jogar um torneio com vocês.

 

Até a próxima!

Jogador desde quando saiu a Base Set aqui no Brasil, tendo minha melhor temporada 11/12, onde que no Nacional 2012 consegui o primeiro top pra Minas Gerais, ficando em 7º colocado. Venci alguns torneios como City's e BR's e top's nos Regionais. Parei por um tempo, mas estou de volta para esse incrível jogo.